Membros Participantes

quinta-feira, fevereiro 14, 2013

8

Mega Star - Todos os modelos

creator gif

Comparando o MEGA STAR - MG - com o VOYAGER - VR - "aparentemente" não há diferença, mas existe diferença, a começar pela numeração do chassi. O MG utiliza uma placa de circuito cuja estrutura é anterior aos modelos VR (a placa de circuito do Mega Star se mantém baseada em construção antiga, SUPERSTAR 3900). Por conta disso, algumas ligações na placa são completamente distintas, possibilitando resultados totalmente extremos nas questões de áudio, transmissão e sintonia.
O MG não corre frequência quando aquecido - é ínfimo -, já o modelo concorrente - VR - tira o sossego em contatos SSB. O painel do MG não acende, em compensação não apita, é o conhecido DELUXE, já o VR acende, e apita, chega a incomodar.
As principais características do MG são: Design deluxe tipo exportação com 271 canais; 10 watts AM/FM - 25 SSB PeP; consumo de 6A modo Full SSB e 4A modo Full AM (Chegando de 11,5A a 14A de consumo quando efetuado Upgrade); controle de potência que varia  de 4 a 10W, atuando apenas em AM no modelo 990TW, sendo que nos modelos mais simples o controle atua em AM e SSB; roger Beep; câmara de eco digital ajustável nos modelos 990TW e 98MK2; frequencímetro de 5 dígitos no modelo 990TW; filtro NB no modelo 990TW e 97; leitor de estacionária analógico manual em todos os modelos citados; + 10 khz para telecomandos nos modelos 990TW e 97 .
Este rádio - MG, nos modelos anteriores ao ano de 2003, tem como característica um roncado na modulação quando o frequencímetro está ligado (o VR9000 desta época também). Este problema foi corrigido nos modelos posteriores ao ano de 2003, inclusive nos modelos Voyager.
Se colocar na balança e tiver que escolher  entre o VR e o MG, prefiro o MG por conta das características distintas que mencionei, e o VR pela aparência. Ou seja, podiam inventar uma marca com a beleza (ponto de vista) do VR e a funcionalidade e estabilidade do MG, sendo que esta estabilidade é oriunda da construção do SS3900.
O áudio TX é excelente em todos os modelos, fazendo com que a transmissão seja sempre fiel na questão de áudio. A cápsula é padrão 500 ohms, e a aparência do microfone é a mesma dos anos 80 - sem evolução (eu gosto). A filtragem é relativamente boa, e a construção estrutural do rádio, embora seja muito parecida com a do VR, apresenta maior resistência para estações móveis se comparado a qualquer equipamento (característica SS3900)
O modelo MG97, que é o mais simples, da uma lavada de qualidade em qualquer rádio da categoria, superando até mesmo a estabilidade do concorrente mais completo, o VR 158 EGTL DX.
O microfone Cobra HG M75 fica um luxo neste rádio, além de proporcionar enorme punch. O rádio já tem uma pegada diferente no áudio, e se juntar esse benefício estrutural com o microfone da Cobra, é só alegria.

O modelo pretinho da foto é um clone/substituto melhorado do Cobra 22 Plus, remodelado e com nova aparência, além do atual microfone com melhor qualidade.
Gostaria de acrescentar detalhes sobre este equipamento?
Utilize o campo de postagem. É uma ótima forma de interagir com outras pessoas e obter conhecimento de mais de uma fonte.
73s
((•)) Ouça este post

8 comentários:

Leonardo Ramos disse...

O melhor rádio que já vi tive foi um MegaStar MG-97, olha que já tive muitos. Em estação móvel fazia incríveis contatos DX. Há pouco tempo coloquei um MegaStar MG-35 no meu carro e do trevo de acesso à cidade de Vera/MT falei com 2 caminhoneiros que passavam pela saída de Sinop (bairro Alto da Glória), algo em torno de 30 km. Também tive um MG-990, rádio expetacular. Hoje tenho um Voyager VR-158 EGTL-DX, mas não vejo nele a bravura dos "Meguinhas".

André Luiz disse...

De fato o Megastar MG97 é "o Mike Tyson" da vez.
Esse rádio é porrada!
O diferencial está na construção antiga, e o mais curioso é o local de fabricação, mas isso vou falar no próximo parágrafo.

A estrutura, como sabem através do post, mantém as características tradicionais dos anos 90, só que mosfets na saída, mas poucos sabem da real razão que faz desse rádio um caso a parte, e quando digo um caso a parte, me refiro à qualidade dos componentes que parece ser as mesmas dos atuais, quando não é, é muito superior.
A resposta é: Fabricado no Japão, não na China.

Fabricio Paixao disse...

Olá André!
Tenho um MegaStar MG-990TW que você fez o Upgrade nele! Uso ele com o microfone Cobra HG-M75 e antena Slim da Steelbras. Faço vários contatos, estou super satisfeito.
Uma pequena dúvida é que já notei que quando deixo o carro no sol e o rádio esquenta (mesmo desligado), quando ligo, a recepção fica baixíssima e quase não escuto nada. Isso é normal?
Abraços!

André Luiz disse...

Esse rádio não é para veículo pequeno, e deve ser protegido do calor. Em cabines de carretas isso jamais ocorreria.

Lean Morais disse...

O podem falar sobre o MG-32 plus? Tenho este e o Cobra 19 DX e gostaria de saber qual o melhor dos 2.

Fanini Gasparine disse...

Olá André!
Sou de juiz de fora e tenho um mega star mg-990tw, não tenho nada a reclamar desse rádio, recepção ótima, transmissão excelente, mas fiquei impressionado com seus videos e futuramente irei fazer esse tal de UPGRAD, será que vai melhorar a minha estação? Abraços

André Luiz disse...

q q ce acha?

André Luiz disse...

q q ce acha?

Cadastre seu e-mail para receber novidades

Sem instrumentos, não adianta!

Sem instrumentos, não adianta!
clique na imagem

Postagem em destaque

Consertando e ajustando pastilhas de wattímetro Bird

"Para aqueles que acham que este instrumento é incorruptível", é bom saber que os wattímetros Bird usam elementos removíveis, cha...

→ TVi ↓

TVi é um dos problemas mais sérios que o radio-operador pode sofrer. Pensando nisso, aqui vai algumas dicas seguras sobre como evitar este problema.

1º Cabo: Tem gente que acha que é só soldar o fio no conector e está tudo certo. Ledo engano!

Antes de soldar o conector, certifique-se que a malha esteja totalmente prateada, brilhando. Caso não esteja, substitua o cabo, ele está oxidado. "É a ação do tempo".

2º Conector: Verifique a qualidade do conector no ato da compra, e caso seu conector esteja a anos sendo utilizado (ou guardado), passe uma lixa fina por dentro no local onde encaixa a malha. Não deve haver nenhum tipo de sujeira ou sinal de oxidação.

3º Conector fêmea do rádio: Utilize uma chave de estria tamanho 19 e aperte a porca. Mal contato é um problema sério. Verifique a solda interna após o reaperto.

4º Não utilize antena tipo 5/8 caseira entre prédios e condomínios que estejam em locais mais altos que sua estação à distâncias menores de 10 metros. Lembre-se que a antena 5/8 irradia em ângulo reto, e a antena de tv do vizinho pode ser aquele famoso "bombrill".

Escolha sempre antena 5/8 industrial. Se for caseira utilize 1/4 de onda, pois seu lóbulo de irradiação aponta a ionosfera, ao invés do horizonte, como no caso da 5/8.

5º Não abra o ALC do equipamento. O ALC libera espúrios. Ao abrir potência do equipamento mantenha a proteção ALC. Da mesma forma que fazemos em nosso laboratório. Isso é imprescindível. Abrir ou aumentar potência não tem nada a ver com liberar ALC. Isso é para incompetentes e palitadores. Se abrir a potência do equipamento lembre-se de deixar o ALC atuando.

6º Estacionária: Nunca se esqueça que estacionária baixa não tem nada a ver com ressonância. A antena pode estar com roe ótima em determinado local, mas ressonar lá na casa do...

7º Identificar o "plano terra": Plano terra não tem nada a ver com antena plano terra. Você deve saber onde é o plano terra de sua estação, e o mesmo não tem nada a ver com o solo. Descobrindo o plano terra, a partir dele você saberá qual é a altura ideal para sua antena. Respeitando esta regra, além do rendimento otimizado de sua Estação, jamais correrá riscos de TVi. Dúvidas?

Consulte-nos.

→ Power RF Aprenda ↓

Como saber a potência correta sem ser enganado?

Primeiro, pesquise sobre o DATASHEET do transistor do seu rádio, leia a respeito, verifique a potência máxima levando em consideração a voltagem do transistor. A base de cálculo é a fonte de alimentação, então o parâmetro é 13,8 volts.

Se apresenta 8A de consumo em amperímetro digital "com congelamento de pico máximo", basta multiplicar 13,8v por 8A e o resultado dividir por 2.66, eis a potência correta, que são 41,5 watts de envelope - PEP. Em miúdos, no assovio tem que dar 41,5 watts, e na modulação 60% por conta do péssimo modulador original, então restam quase 25 watts de modulação real. Viu porque não adianta palitar? Girar ou abrir posição de trimpot apenas gera mais calor, e calor é igual a perda. Quanto mais se aquece o transistor, mais fecha a entrada de gate quando aquecido, e por isso você precisa alterar alguns componentes na saída, porque eles impedem o rendimento da potência final (isso só serve para rádios PX).

Um rádio na atualidade - 2015 - original apresenta 20w PEP SSB em média, então você tem 13,8v X 4A de consumo, que é = 55.2w Dividido por 2.66 = 20,75w efetivos. Ou seja, fonte de 5A para esse rádio original toca com folga.

Rádios com upgrade apresentam consumo entre 12A e 16A "em média" para mais, então você tem 13,8v X 12A = 165,6W em calor (em perda) divididos por 2,66 = +- 60w que representa o % aproveitável, e em média máxima "para 13,8v". Com voltagens DC to DC na alimentação, essa potência pode ultrapassar os 100 watts aproveitáveis, mas não há área de dissipação, então não recomendo. A bem da verdade, eu literalmente pago para ver alguém conseguir reproduzir o sistema que patenteamos, DC to DC.

Se utilizar bateria de 12v, o consumo em amperagem é maior. Quanto maior a voltagem, menor consumo em amperagem, quanto menor voltagem, maior consumo em amperagem.

By: Lei de Ohm.

Medições fora deste parâmetro são equivocadas.

Fale comigo

→ Dica de Segurança

A vantagem do Rádio na estrada, além da possibilidade de fazer grandes amigos, é saber o que está acontecendo lá na frente. Um possível deslizamento, bloqueio de pista, uma possível blitz falsa, assaltos, áreas perigosas, carros suspeitos e acidentes. Na verdade, o operador da Faixa do Cidadão precisa de muita malícia, porque em todo lugar haverá maldade e oportunismo. Já houve caso de amigo que quase foi morto em emboscada armada através de convites feitos na própria faixa. Pessoas que se passaram por radio-operadsores o chamaram para tomar um café e o mesmo foi, sem maldade nenhuma, mas estavam na verdade de olho em sua carga de remédios, relata João, Estação Cachorro Louco (Juiz de Fora MG). Portanto amigos, é possível sim fazer do rádio um ambiente saudável e seguro, basta denunciar quaisquer irregularidades e ficar atentos a desvios de conduta. Aproveite e faça sua parte, seja cordeal, e não se misture com radio-operadores que desrespeitam a faixa utilizado linguajar de baixo calão. Em caso de problemas, procure um posto da Polícia Rodoviária Estadual/Federal.

Oferecimento:

PXJF YOUTUBEadio.com.br

→ WATTÍMETRO BIRD - SAIBA TUDO